Principal
Webmail
 
  Home   /   A Mondrongo   /   Agenda   /   Catálogo   /   Conteúdos   /   Mondronguinho /   Onde Comprar   /   Contatos
 
Catálogo
 
11/05/2015 - 08h35 - Atualizado em 11/02/2016 - 20h40
Editora Mondrongo - ()
TAMANHO DA FONTE A- A+
 
 
 

ADULTÉRIOS NA VIDA COMO ELA É

Autor: Galindo Luma
Gênero: Crônicas
Nº de páginas: 154
Formato: 14 x20 cm
Preço: 25,00

Detalhes: É com GalindoLuma que aprendemos que não se nasce homem: torna-se um.


GalindoLuma é, consequentemente, um pacifista. Afinal, o amor (geral e irrestrito) continua sendo a arma mais eficiente contra a guerra – inclusive ou sobretudo a guerra dos sexos. A paz em Galindo Luma e adjacências é o resultado de um sem número de atitudes em nome do prazer sem bridas, sem armas, sem a culpa judaico-cristã, e quem se beneficia disso tudo é a mulher, uma vez que é a mulher a principal vítima, histórica e geograficamente, do velho, ancestral patriarcalismo mutilador, criador de burkas, abortos clandestinos, traições conjugais, e, criador, pasmem, do feminismo. GalindoLuma veio trazer a paz e a espada, portanto, uma vez que questiona, fustiga, incomoda, com seus valores pautados no respeito à natureza e não à cultura do ser humano civilizado – leia-se “castrado” –, com seus desejos sublimados enchendo os bolsos dos psicanalistas. A espada, depois do uso (e GalindoLuma usa a espada da primeira à última crônica) qualificado, reinaugura a paz edênica (uma paz sem monotonia) do amor livre, entre uvas, raposas e vinhos. Esse é o verdadeiro sentido de “religião”: religar-se a sua natureza. Por meio de textos que a um só tempo entretêm e postulam (sempre com humor dos mais cínicos e linguagem coloquial envolvente), como uma apologética pagã, GalindoLuma, espirituoso ateu, mostra o caminho das águas a mulheres que ainda não se tornaram a mulher beauvoiriana. Mas o caminho oferecido por Galindo é mais prático (no duplo sentido) e, portanto, mais rápido, um tratamento de choque contra o tédio, a dor mental, a estúpida disputa entre homens e mulheres pelo que ambos procuram, e juntos. O hedonismo em GalindoLuma faz nascer também um novo homem: o homem consciente do direito da mulher ao prazer sexual. Há um duplo empoderamento: o empoderamento do homem que sempre foi condenado pela mulher por gostar de ter e dar prazer (!), e o empoderamento da mulher que está cansada de ser julgada pelos homens como promíscua (eufemismo para “puta”) por gostar de expressar seus desejos os mais verdadeiros e legítimos, por muito tempo recônditos. Empoderar duplamente não é para qualquer pessoa. É com GalindoLuma que aprendemos que não se nasce homem: torna-se um. Para a sorte das mulheres. Henrique Wagner




 
2011 - Todos os direitos reservados

Rua Sóstenes de Miranda, 178 | 1º Andar | Centro
Itabuna-BA | CEP 45.600-210.

Tel. (73) 3041-3116 | 9147-0223 | 8842-2793
Assine nossa Newsletter
E-mail:
Nome: